EnglishPortugueseSpanish

Propaganda – Psicologia / Glossário

Propaganda – Psicologia

SERPA, Marcelo H. N. Propaganda e interdisciplinaridade. V. Pós defesa. Rio de Janeiro: UFRJ, 2001. 179 p. Dissertação (Mestrado)

P.18

Perspectivas da aplicação da psicologia à propaganda e algumas questões da ética na propaganda.

Objetiva-se, principalmente, uma análise da propaganda sob a ótica do marketing: a propaganda como função de produção na comunicação social. Mais especificamente, na propaganda contemporânea – quer de mercado, quer na ideológica (política e religiosa), buscando-se uma visão objetiva no seu mundo, a partir do contexto da comunicação social.

No campo profissional da propaganda, desde os primórdios, parece existir uma apropriação simples e direta de tudo aquilo que, no campo das outras ciências, interessasse às necessidades pragmáticas do seu exercício (da propaganda).

Pode-se dizer que, a partir de Claude Hopkins (1866-1932) a propaganda estabeleceu um estado de simbiose com todas as ciências que em algum momento a interessassem – embora o fizesse de modo empírico e assistemático. Hopkins é um ícone da história da propaganda, citado e reconhecido pelos maiores publicitários de todos os tempos, como David Ogilvy, apenas para citar um de maior destaque.

Increva-se

Pesquisa

Professor Marcelo Serpa
Escola de Comunicação da UFRJ
Campus Praia Vermelha
Palácio Universitário

Tel.: +55 21 98275-5555
E-Mail: marcelo.serpa@eco.ufrj.br
                        serpa.br@gmail.com

Como chegar à

© 1997-2020 Marcelo Serpa - MS Comunicação. Todos os direitos reservados

Developed by D4W